Instituto Base é apresentado para secretários estaduais de Saúde

Representantes da Saúde de todo o Brasil puderam conhecer, nesta quarta-feira (23), detalhes de um dos maiores avanços administrativos ocorridos na gestão hospitalar do Distrito Federal em 2018.

Vice-presidente da Região Centro-Oeste do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) e titular da Saúde no DF, Humberto Fonseca proferiu, durante a 7ª Assembleia do Conass, a palestraTroca de Experiências entre as Secretarias de Saúde – Criação do Instituto Hospital de Base, destacando os avanços e benefícios aos cidadãos.

Fonseca iniciou o discurso classificando como atrasado o atual modelo de gestão de saúde feito por administração direta. “Utilizamos instrumentos burocráticos, como a Lei 8.666, que impede que a administração seja célere. Com isso, o tempo para comprar um medicamento é o mesmo para comprar uma caneta”, comparou.

O chefe da pasta lembrou que, apesar de uma série de esforços para reduzir o tempo dos processos de compra, a Secretaria de Saúde do DF só conseguiu diminuir em dois meses esse prazo nos casos de aquisições regulares, que chegava a 10 meses. No caso de licitações emergenciais, são dois meses e meio, e para realizar um concurso para contratação de pessoal, aproximadamente um ano.

“Buscamos modelos menos burocráticos e mais flexíveis desde o início da gestão, e conseguimos. O Base, o maior hospital terciário e centro da rede de alta complexidade, tinha sérios problemas como dificuldade para reposição de recursos humanos e readequação de áreas físicas com reformas”, destacou o chefe da pasta.

Fonte: SES

Foto: Matheus Oliveira

Responda

Your email address will not be published.