Cinco Regiões de Saúde são destaque no monitoramento dos indicadores

[Fortaleza] – As regiões de saúde de Acaraú, Canindé, Aracati, Iguatu e Baturité foram os destaques em 2018 no monitoramento dos indicadores estratégicos de vigilância em saúde nas respectivas Macrorregiões de Saúde. As cinco regiões de saúde cumpriram, por exemplo, 100% das metas de monitoramento da vigilância sanitária e entre 80% e 100% das metas de monitoramento dos sistemas de informação em saúde. O monitoramento e a avaliação de indicadores da vigilância em saúde representam importantes instrumentos de análise e execução das ações, à luz dos resultados alcançados e do cumprimento de metas, de forma a subsidiar a tomada de decisões e planejamento das ações por gestores e profissionais de saúde.

Na Macrorregião de Saúde de Sobral, a região de saúde de Acaraú, integrada pelos municípios de Acaraú, Bela Cruz, Cruz, Itarema, Jijoca de Jericoacoara, Marco e Morrinhos, cumpriu 45%, 70,5% e 70,5% das metas nos três monitoramentos de indicadores realizados no ano, respectivamente. Os municípios de Boa Viagem, Canindé, Caridade, Itatira, Madalena e Paramoti, da região de saúde de Canindé, na Macrorregião do Sertão Central, cumpriram 39%, 52,3% e 65,9% das metas nos três monitoramentos.

A região de saúde de Aracati, formada pelos municípios de Aracati, Fortim, Icapuí e Itaiçaba, na Macrorregião Litoral-Leste/Jaguaribe, alcançou percentuais de 38%, 47,7% e 63,6%. Na Macrorregião de Saúde do Cariri, o destaque foi a região de Iguatu, dos municípios de Acopiara, Cariús, Catarina, Dep. Irapuan Pinheiro, Iguatu, Jucás, Mombaça, Piquet Carneiro, Quixelô e Saboeiro, que atingiu percentuais de 38,6%, 38,6% e 63,6%. Na Macrorregião de Saúde de Fortaleza, a região de Baturité, formada por Aracaiaba, Aratuba, Baturité, Capistrano, Guaramiranga, Itapiúna, Mulungu e Pacoti, cumpriu 18%, 43,2% e 47,7% nos três monitoramentos.

“O monitoramento mostra que as equipes de vigilância estão realmente executando as ações”, comemora a coordenadora de Vigilância em Saúde (COVIG), da Secretaria da Saúde do Ceará, Daniele Queiroz. “O painel é importante porque conseguimos visualizar qual é a real situação do cenário epidemiológico, mas também do alcance de metas e de indicadores pactuados, conseguimos acompanhar a performance da melhoria dos municípios e das coordenadorias regionais de saúde”, acrescenta.

O Painel de Indicadores Estratégicos da Vigilância em Saúde do Ceará é composto por 44 indicadores que contemplam informações acerca da vigilância epidemiológica, vigilância sanitária, vigilância ambiental, informação e análise em saúde, imunizações e controle de vetores. Entre os indicadores monitorados estão, por exemplo, a proporção de municípios que realizam as sete ações de vigilância sanitária consideradas necessárias a todos os municípios, proporção de óbitos de mulheres em idade fértil (MIF) investigados, proporção de óbitos infantis e fetais investigados, proporção de semanas epidemiológicas com informação no SINAN (Sistema de Informação de Agravos de Notificação), proporção de vacinas do Calendário Básico de Vacinação da criança com coberturas vacinais alcançadas, percentual de amostras analisadas para o Residual de Agente Desinfetante em água para consumo humano, proporção de casos de dengue e chikungunya investigados adequadamente, entre outros.

Os indicadores do painel, que teve sua primeira versão em 2016, foram selecionados levando em consideração critérios como representatividade, oportunidade e reprodutibilidade nos âmbitos regional e municipal. O monitoramento dos indicadores ocorre quadrimestralmente, em reunião com os técnicos e gestores da Coordenadoria Regional de Saúde mais recentemente com a participação dos municípios. Esse intervalo de tempo para o monitoramento permite a avaliação da execução de ações desenvolvidas, ao mesmo tempo em que possibilita a intervenção oportuna diante dos problemas identificados. Considerado como um marco para as ações descentralizadas de vigilância em saúde no Ceará, o Painel de Indicadores Estratégicos está em seu terceiro ano de execução.

Responda

Your email address will not be published.