Com forró, idosos cuidam da saúde em Planaltina

[Brasília] – A dança pode significar muito mais que uma atividade recreativa. Ela também é um cuidado com a saúde. Pensando nisso, o projeto Forró Terapia foi incluído nas atividades oferecidas pelo Centro de Referência em Práticas Integrativas em Saúde (Cerpis), em Planaltina, por sugestão da própria comunidade. O sucesso foi tão grande que a modalidade já contemplou 2.927 pessoas, sendo a maioria idosos.

São duas horas de dança, em que um sanfoneiro voluntário anima o público. Três técnicos de enfermagem acompanham e orientam a prática da atividade. Tudo isso acontece na tenda de atividades do Cerpis, duas vezes por semana. Para participar do forró basta ir até o Centro, em Planaltina, nas terças e quintas-feiras, entre 17h e 19h.

Mais de 42 mil pessoas passaram pelo Centro, no último ano, participando de diferentes atividades e terapias desenvolvidas no local. Dos atendimentos individuais, a acupuntura registou o maior número – 913.  Já entre as terapias em grupo, a automassagem recebeu mais pacientes, registrando 9.127.

A farmacêutica Isabele informou que as práticas integrativas oferecidas pelo Centro estão voltadas para as Linhas de Cuidados e Projetos Terapêuticos Singulares, com a oferta de práticas integrativas, fitoterapia, promoção da saúde, educação popular e de servidores públicos, e estimula a participação social no SUS.

O centro funciona de segunda a sexta-feira, das 7h ao meio-dia, e das 14h às 18h. São feitos atendimentos por demanda espontânea (em que a pessoa procura o local) e por encaminhamento médico.

ASSISTÊNCIA

As Práticas Integrativas e Complementares (PIC) são sistemas e recursos terapêuticos que buscam estimular os mecanismos naturais de prevenção de doenças e da recuperação da saúde com ênfase na escuta acolhedora, no desenvolvimento do vínculo terapêutico e na integração do ser humano com o meio ambiente e a sociedade.

Os tratamentos são baseados em conhecimentos tradicionais, voltados à prevenção de diversas doenças, como depressão e hipertensão, por exemplo.

As práticas foram oficialmente reconhecidas e instituídas pelo Sistema Único de Saúde no ano de 2006, contando com apenas seis modalidades terapêuticas. Atualmente, 29 são reconhecidas. Dentre as mais populares estão acupuntura, arteterapia, biodança, dança circular, meditação, musicoterapia, naturopatia, além da reflexoterapia, reiki e shantala (massagem para bebês), por exemplo.

Saiba quais práticas integrativas estão disponíveis no Distrito Federal.

Josiane Canterle, da Agência Saúde

Responda

Your email address will not be published.