Secretário de Saúde apresenta ao CRM melhorias realizadas no HILP

[Teresina] – A Secretaria de Estado da Saúde vem realizando um processo de melhorias nas Unidades de Saúde do Estado, buscando oferecer uma melhor assistência aos pacientes usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Para tanto, a SESAPI vem alinhando estratégias junto aos órgãos fiscalizadores como Conselho Regional de Medicina (CRM). Uma parceria que busca alinhar ideias e ações a serem executadas.

Dessa forma o secretario de Estado da Saúde Florentino Neto, esteve no Conselho Regional de Medicina (CRM), reunido com a presidente do CRM, a médica Miriam Palha Dias, com o diretor do Hospital Infantil Lucídio Portella, o médico Vinícius Pontes, membros do CRM e equipe de técnicos do Hospital Infantil e da SESAPI.

O objetivo da visita foi apresentar para o Conselho o que foi realizado de obras no Hospital Infantil Lucídio Portela, como a nova Central de Matéria Esterilizado, uma nova ambientação na recepção, enfermarias e ambulatório. Na ocasião também foi anunciado o que está sendo providenciado para que todo o teto da unidade de saúde seja reformado.

“Estamos reunidos para apresentar os projetos que serão executados como é o caso da nova Unidade de Terapia Intensiva (UTI), uma ampliação de grande importância que contará com a adequação de todas as normas de vigilância sanitária e as normas que asseguram a segurança do paciente”, anunciou Florentino.

O secretário também apresentou os projetos que serão encaminhados para a licitação. “O total de investimentos nas obras é de 8 milhões de reais. Parte das obras já foram executadas, parte está em execução e outra parte estamos enviando para a licitação. Os recursos são originários do orçamento geral do estado, onde o governador Wellington Dias aportou recursos importantes para essas reformas. Os recursos também são originários de emendas parlamentar do deputado Rodrigo Martins e 6 milhões de reais são originários de ementa do senador Ciro Nogueira”, destaca.

Florentino também fala da importância dessa parceria com o CRM e equipe médica. “A conjunção desses esforços faz com que possamos ter um Hospital Infantil mais adequado e com melhor capacidade de atendimento. Considero muito importante a reunião no CRM para estarmos melhorando os hospitais da Rede Estadual, mais também é de grande importância ouvir a classe médica no sentido de que essas melhorias possam resultar de uma opinião conjunta de todos que fazem a saúde pública do Piauí”, pontua Florentino.

A presidente do CRM, a médica Miriam Palha Dias, destaca o acompanhamento conjunto entre a SESAPI e CRM. “Estive reunida com o secretário de Saúde juntamente com a diretoria do Hospital Infantil, onde tratamos sobre as reformas, ampliações que estão sendo realizadas e o que foi feito recentemente feito, como a inauguração, da nova Central de Esterilização, a reforma de almoxarifado, a programação para a ampliação da UTI, aumentando para 20 leitos, entre outras obras. A equipe trouxe boas novas para a unidade de saúde e estamos acompanhando toda essa mudança para a melhoria do atendimento a população”, diz a presidente.

O Hospital Infantil Lucído Portella é a única unidade de saúde do estado que realiza atendimentos de media e alta complexidade. É também o hospital que realiza procedimentos de cirurgias neuropediatricas. A unidade de saúde realiza em torno de 2.600 consultas por mês, 8 mil procedimentos ambulatoriais, faz 100 cirurgias por salas e atende todas as especialidades tanto clinicas como cirúrgicas.

O diretor do Hospital Infantil Lucídio Portella, o médico Vinício Pontes explica que a reunião tem como principal objetivo apresentar a consolidação dos processos de trabalhos que foram feitos junto com aos órgãos de controle, como o Conselho Regional de Medicina. “Estivemos reunidos para apresentar o que já conseguimos alcançar prestando conta à sociedade do que o Hospital Infantil já avançou. Na ocasião também mostramos o que será feito daqui para frente. Temos inúmeras obras para serem entregues, e temos os processos de trabalho que entra a parte de faturamento e a parte de insumos para consumo do dia a dia do hospital e que estamos prestando conta. Considero de grande importância essa atitude e é nossa obrigação junto ao Conselho Regional de Medicina e junto aos órgãos de controle do estado”, conclui.

Por: Elis Pegado

Responda

Your email address will not be published.