Por que vacinar contra o sarampo?

Vaccine or flu shot in injection needle. Doctor working with patient's arm. Physician or nurse giving vaccination and immunity to virus, influenza or HPV with syringe. Appointment with medical expert.

Levar aquela “picadinha” da vacina não é nada agradável de sentir ou ver nos filhos. Apesar do desconforto, mesmo em adultos, é importante entendermos que essa “picadinha” deve ser parte da nossa rotina porque é fundamental para evitar doenças graves como o sarampo, que há três anos, voltou a ocorrer no Brasil.

O sarampo é uma infecção altamente contagiosa que pode resultar em sérias consequências para a saúde e até a morte, sobretudo nas crianças. E a forma mais eficaz de deixar essa doença bem longe é a vacina!

A nova etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo tem foco em mais de 3 milhões de crianças e jovens na faixa etária de 5 a 19 anos. Eles devem buscar os postos de vacinação de 10 de fevereiro e 13 de março. O dia ‘D’ de mobilização será em 15 de fevereiro, no sábado.

“É importante que as pessoas entendam as consequências de não se vacinar contra o sarampo, que é um vírus de alta transmissibilidade, podendo uma pessoa com a doença contaminar mais 18 indivíduos, e letalidade, principalmente em crianças”, destacou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta ao lançar a campanha.

Mas porque a vacinar nessa faixa etária? Quem responde essa pergunta é a coordenadora do PNI, Francieli Fontana.

Com o objetivo de interromper a transmissão do sarampo, eliminar a circulação do vírus e garantir altas coberturas vacinais, o Ministério da Saúde traçou uma estratégia nacional. As duas primeiras etapas já ocorreram em 2019, com a realização de campanha de vacinação nacional, em outubro, de crianças de seis meses a menores de 5 anos de idade. A segunda etapa aconteceu em novembro para a população de 20 a 29 anos. Dando continuidade às ações em 2020, outras duas etapas de mobilização nacional devem ocorrer, além da prevista para este mês de fevereiro: junho a agosto, para reforço do público de 20 a 29 anos de idade, mais suscetíveis ao sarampo; e em agosto para a população de 30 a 59 anos de idade.

Será que as crianças e jovens entendem o quanto o sarampo é perigoso? O Blog da Saúde conversou com três pessoas dessa faixa etária para entender o que eles sabem sobre a doença.

A estudante Geovana Gaspar, 13 anos, é apaixonada por teatro e música. Ela já conhecia a doença, pois teve quando tinha 7 anos e ela nos contou o que lembra e o que sabe sobre a doença. “O que eu sei do sarampo é que ele dá muita febre, umas pintinhas e só cura com vacina”.

A estudante Maitê Fonseca, 8 anos, adora fazer ginástica olímpica e ama seus irmãos. Nunca ouviu falar sobre a doença. “Não sei o que é, vou perguntar para minha mãe”.

Drielli Viega, 19 anos, estudante, ama atuar e trabalha na companhia de teatro Neia e Nando. “O sarampo é uma doença contagiosa, é transmitida pela saliva, através de compartilhamento de toalha, roupas ou qualquer coisa que esteja contaminada. Ela é muito mais difícil quando se é criança. Os sintomas são as coceiras, tosse, enjoou. Na gravidez pode passar para bebê

Os técnicos do Ministério da Saúde ajudaram a esclarecer o que foi dito, corrigindo ou completando as informações.

Maitê, o sarampo é uma doença respiratória perigosa que pode sim, até matar. Causa manchas no corpo, febre, tosse e o nariz também fica escorrendo. É uma doença que pode ser evitada com a vacina e toda criança Precisa se vacinar. Converse com sua mãe e peça que ela te leve em um posto de saúde para avaliar sua caderneta de vacinação.

Geovana, a vacina não é a cura para o sarampo. Na verdade, a vacina previne a doença. Toda criança tem o direito de se vacinar. Compartilhe essa informação com seus amigos da escola para que todos também possam ficar protegidos.
Drielli, Você está certa. O sarampo passa muito fácil de uma pessoa para a outra e a vacina é a melhor forma de prevenir.

O importante é estar bem informado sobre a eficácia da vacinação para que esse público esteja devidamente protegido do sarampo, que pode levar a morte, mas pode ser evitada pela vacina.

Fonte: MS

Responda

Your email address will not be published.