Fumantes têm mais chances de desenvolver sintomas graves de Coronavírus

O tabaco causa inflamação e prejudica os mecanismos de defesa do organismo.

[Teresina] – Com a incidência do novo coronavírus (COVID-19) no mundo, muitas pessoas foram determinadas como grupos de risco, como os idosos, indivíduos com doenças crônicas, pneumopatias, dentre outros. O Instituto Nacional de Câncer (INCA) aponta que o tabagismo é um fator de risco para a Covid-19 e, devido a isso, os fumantes têm uma maior chance de desenvolver sintomas graves da doença.

O tabaco causa diferentes tipos de inflamação e prejudica os mecanismos de defesa do organismo. Por esses motivos, os fumantes têm maior risco de complicações quando adquirem infecções por vírus, bactérias e fungos. O pneumologista da DMI, João Vicente Moreira, explica a relação existente entre fumantes e o coronavírus. “Não há evidências que os fumantes tenham mais chances de contrair o vírus. Entretanto, os fumantes têm uma chance maior de desenvolver formas graves da doença, especialmente nos casos em que já houver doença respiratória (ou de outro sistema) em decorrência do cigarro”, informa.

Dados do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), divulgados pelo Ministério da Saúde, apontam que o número de brasileiros que mantém o hábito de fumar caiu 38% no período de 13 anos. A prevalência de fumantes é menor nas faixas extremas de idade: entre adultos com 18 a 24 anos (7,9%), e adultos com 65 anos ou mais (7,8%).

João Vicente Moreira recomenda a cessação do tabagismo aos indivíduos que apresentarem sintomas. “O ideal é cessar o uso dessa substância. Em caso de sintomas persistirem, como falta de ar e/ou tosse, o médico deve ser consultado. Exercícios respiratórios são sempre bem-vindos, especialmente os aeróbicos. Em geral estes são os que mais beneficiam o sistema cardiorrespiratório”, finaliza o pneumologista.

Foto: Tabacaria da Mata

Responda

Your email address will not be published.