Piauí é Estado com menor número de fumantes do Brasil

PARIS - JANUARY 31: An unidentified man smokes a cigarette in the street outside his office on January 31, 2007 in Paris, France. France introduces a smoking ban in public places from February 1, 2007. Bars, restaurants, hotels and night clubs will follow from January 1, 2008. (Photo by Pascal Le Segretain/Getty Images)

Segundo os dados da pesquisa, em 2019, o menor percentual de adultos fumantes do Brasil é do Piauí: 4,4%

[Teresina] – A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), através do Programa de Controle do Tabagismo, comemora o resultado do estudo do Ministério da Saúde através da Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico). Segundo os dados da pesquisa, em 2019, o menor percentual de adultos fumantes do Brasil é do Piauí : 4,4%.

O Programa de Controle do Tabagismo foi implantado pela Sesapi em 2009 em 60 municípios do Estado. Hoje alcança 196 cidades piauienses. Segundo a coordenadora do Programa de Saúde do Adulto e Idoso da Sesapi, Valdite Leão, o tratamento é oferecido em 912 postos de saúde do Estado, o que colaborou para a queda do número de fumantes no Piauí. Cuidamos do fumante de maneira cognitiva e com medicamentos”, afirma a coordenadora.

O Vigitel é uma pesquisa telefônica realizada com maiores de 18 anos, nas 26 capitais e no Distrito Federal, sobre diversos assuntos relacionados à saúde. Foram avaliados os indicadores de hipertensão arterial e diabetes, excesso de peso e obesidade, consumo abusivo de álcool, fumantes, consumo alimentar e atividade física. O objetivo é conhecer a situação de saúde da população para orientar ações e programas que reduzam a ocorrência e a gravidade de doenças, melhorando a saúde da população.

O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza tratamento gratuito para dependentes da nicotina.  O tabagismo é reconhecido como uma doença crônica causada pela dependência à nicotina presente nos produtos à base de tabaco, sendo a principal  causa de câncer de pulmão e fator para o desenvolvimento de várias outras doenças como hipertensão, diabetes e cardiopatias. Todas essas doenças crônicas aumentam o risco de desenvolver complicações da infeccção pela Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Responda

Your email address will not be published.