Cuidados redobrados durante e após o parto podem evitar contaminação de recém-nascidos pela Covid-19

Amamentação é fundamental para fortalecer organismo do recém-nascido, mas deve ser feita com cuidado

[Teresina] –  O parto é um momento muito marcante para todas as mães. No entanto, devido ao risco de contaminação pela Covid-19, algumas medidas precisam ser tomadas para garantir a segurança da gestante e do recém-nascido durante este período.

A enfermeira Amanda Barreto explica que os cuidados devem ser ainda maiores quando a paciente estiver com sintomas ou for diagnosticada com Covid-19. “Na maternidade, as pacientes com suspeita ou diagnosticadas com Covid-19, além de ficarem em uma ala separada das demais, precisam receber uma máscara cirúrgica, que deve ser trocada sempre que houver necessidade”, explica a presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI).

Apesar de não haver nenhuma comprovação em relação à transmissão vertical na hora do parto, alguns cuidados são necessários. Se a mãe for sintomática ou estiver comprovada a sua contaminação pela Covid-19, o bebê não deve ser colocado imediatamente em contato pele a pele com a mãe. “A forma de transmissão continua sendo as gotículas e, por isso, é importante o uso da máscara, a troca deste instrumento de proteção de forma frequente e higienização das mães antes de segurar o bebê”, alerta Amanda Barreto.

A amamentação é bastante indicada, mesmo quando a mãe está com Covid-19. Não há evidência da presença do vírus no leite materno, que é uma forma importante de proteção do bebê devido à presença de anticorpos. No entanto, a mãe precisa estar com a máscara e evitar falar durante a amamentação.

Antes da pandemia, as visitas na maternidade e em casa eram tradicionais e bastante aguardadas pelos familiares e amigos da puérpera. No entanto, devido ao grande risco de contaminação, estas visitas não devem acontecer neste momento. O sistema imunológico do recém-nascido ainda é fraco e, ao aceitar receber visita em casa, a mãe pode estar colocando a vida do filho em risco e também a dela, uma vez que, puérperas também fazem parte do grupo de risco para Covid-19. Os familiares que convivem com a mãe e o bebê dentro de casa também precisam ficar atentos.

“Temos casos de mães e recém-nascidos que possuem uma família numerosa e dividem a casa com muitas pessoas. É importante que todas respeitem o isolamento social e só saiam de casa quando for necessário, tomando todas as precauções para a proteção de todos”, destaca a enfermeira Amanda Barreto, presidente do Coren-PI.

Fonte: Ascom|Foto: Freepik

Comments are closed.