Iaspi flexibiliza cirurgias eletivas que demandam baixa permanência hospitalar

[Teresina] – O Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Estado do Piauí (Iaspi) começa a flexibilizar a liberação das cirurgias eletivas, incluindo as que demandam baixa permanência hospitalar, ou seja, internação de um dia. A suspensão desses procedimentos, determinada no dia 11 de janeiro deste ano, continua valendo por mais 15 dias, mas com a novidade da flexibilização.

As cirurgias eletivas não urgentes estavam suspensas por causa da pandemia da Covid-19. Uma medida adotada para ampliar o número de leitos para o tratamento da Covid-19 devido ao crescente número de casos da doença no estado. De 11 de janeiro até o momento, cerca de 250 procedimentos aguardam liberação, já que parte deles está sendo liberada, pois nesse período as cirurgias oncológicas, oftalmológicas e demais tratamentos cuja indicação médica solicite brevidade no atendimento, com a devida justificativa, continuaram sendo analisados pela equipe médica de auditores e validados dentro da tabela Plamta.

Segundo a diretora-geral do Iaspi, Daniele Aita, a procura pelos serviços se manteve, embora com uma redução em torno de 300 cirurgias por mês. “Temos cerca de 500 pedidos de cirurgias/mês. Com esse período de suspensão, houve uma redução na procura, mas todos os pacientes conseguiram atendimento médico e continuaram tendo os serviços pelo Iaspi Saúde de forma integral. Com essa flexibilização, vamos retomar de forma gradual a liberação de cirurgias eletivas, seguindo a ordem com aqueles que já estavam com cirurgias agendadas. O objetivo é zerar algumas demandas o mais rápido possível”, explica a gestora.

“A rede hospitalar viveu momentos críticos, alguns dias de esgotamento, mas  nenhum segurado do Iaspi deixou de ser internado ou de ser atendido por falta de vaga. O instituto está preparado para retomar, dar continuidade à liberação de mais cirurgias e, em breve, certamente, deverá flexibilizar mais procedimentos, respeitando o prazo de 21 dias úteis previsto na Agência Nacional de Saúde (ANS)”, completa Daniele Aita.

O Plamta esteve recentemente com o sistema fora do ar, por conta de incêndio ocorrido no data center da Agência de Tecnologia da Informação (ATI), questão que já foi solucionada, e está recebendo, diariamente, das 7h às 13h30, a solicitação/pedido médico e cumprindo o prazo de liberação dado pela ANS. O paciente deixa no instituto o pedido médico que vai para análise da auditoria, com a documentação necessária, e deve aguardar o retorno.

“Ainda estamos na pandemia e não podemos relaxar os cuidados para evitar contaminação pelo novo coronavírus, e nem podemos aglomerar. Já demos um grande passo flexibilizando as cirurgias eletivas que exigem baixa permanência hospitalar. Nos próximos dias, vamos fazer nova avaliação, conforme a evolução da pandemia em nosso estado, após o Carnaval.  O importante é evitar o colapso da rede de saúde e garantir leitos para o tratamento da Covid, sem esquecer do tratamento de outras doenças que também requerem prioridade”, enfatiza a diretora do Iaspi.

Fonte: Ccom

Comments are closed.