Alzheimer: exame de sangue inédito contra a doença chega ao país

Um novo exame de sangue para avaliar o risco de Alzheimer começou a ser oferecido no Brasil. Trata-se do PrecivityAD2, um teste que detecta a presença de proteínas que indicam a formação de placas amilóides cerebrais, uma das principais característica da doença de Alzheimer. Ele é indicado para pessoas que já apresentam sinais e sintomas de declínio cognitivo.

 

Além de ajudar a diagnosticar o Alzheimer, que é a principal causa de demência no mundo, o teste tem a capacidade de excluir a possibilidade da doença, o que é igualmente importante, uma vez que muitas outras causas de comprometimento cognitivo, como depressão, apneia do sono, demência vascular e problemas metabólicos, podem mascarar-se como doença de Alzheimer, mas são tratáveis por meio de outros cuidados de saúde.

“O diagnóstico adequado é o primeiro passo na jornada de um paciente para receber os cuidados necessários para sua saúde cerebral. O progresso que estamos fazendo com o desenvolvimento de um exame de sangue simples que determina a presença ou ausência da patologia cerebral de Alzheimer com níveis de desempenho semelhantes aos testes mais invasivos”, disse o médico Joel Braunstein, CEO da  C2N Diagnostics, empresa de saúde de diagnóstico molecular responsável pelo desenvolvimento do teste.

 

O exame foi lançado nos Estados Unidos em agosto. No Brasil, ele está disponível nas unidades de São Paulo do Grupo Fleury, a um custo de R$ 3.600. A previsão é que nos próximos dias outras marcas do grupo, localizadas no Maranhão, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal, bem como pelo Atendimento Móvel de São Paulo, também ofereçam o exame. Para realizá-lo, é necessário prescrição médica.

As amostras são preparadas na Central Técnica do Fleury e encaminhadas para avaliação nos Estados Unidos. O resultado é liberado em cerca de 20 dias.

O exame utiliza espectrometria de massa para analisar diferentes tipos de proteínas relacionadas ao comprometimento cognitivo. Nesta técnica, as proteínas são extraídas e depois digeridas em peptídeos. Assim, o teste possui marcadores que incluem os peptídeos beta-amilóide 42 e 40 e diferentes formas fosforiladas e não fosforiladas da proteína tau, incluindo formas com fosforilação no tau217 tornando- mais preciso que outras opções disponíveis no mercado.

Estudos mostraram que o exame de sangue atingiu precisão de 88% quando comparado aos resultados quantitativos do PET-amiloide cerebral, que é um dos principais exames usados para diagnóstico da doença. No entanto, o novo teste é muito menos complicado e mais barato do que o PET-amiloide cerebral e menos invasivo que outros métodos já utilizados, como a análise do líquido cefalorraquidiano.

“Essa inovação traz um benefício imenso à sociedade, visto que não é procedimento radioativo ou invasivo como outros que existem para detecção ou exposição desnecessária à radiação”, diz Edgar Gil Rizzatti, presidente de Unidades de Negócios Médico, Técnico, de Hospitais e Novos Elos do Grupo Fleury, em comunicado.

Outro exame de sangue também direcionado ao diagnóstico de Alzheimer em pessoas com sintomas de comprometimento cognitivo está disponível no Brasil, nos laboratórios da rede de saúde integrada Dasa.

, que envolve uma máquina para identificar moléculas específicas em uma determinada amostra. Assim, a novidade procura, no sangue do paciente, por dois tipos da proteína beta-amiloide: a 40 e a 42. Isso porque as placas formadas por esses compostos no cérebro são alguns dos principais biomarcadores do Alzheimer, junto àquelas compostas pela proteína TAU. Ambas já foram ligadas, em estudos anteriores, ao estímulo de uma via neuronal chamada C/EBPβ/AEP, que, por sua vez, impulsiona o surgimento de doenças neurodegenerativas.

Fonte: O Globo

Comments are closed.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Privacy & Cookies Policy