Dia Nacional de Conscientização sobre a Esclerose Múltipla reforça a necessidade do diagnóstico precoce

Dr. Rodrigo Frezatti, docente do IDOMED e médico neurologista, esclarece os sintomas da doença. Data é celebrada em 30 de agosto

Hoje, 30 de agosto, é o Dia Nacional de Conscientização sobre a Esclerose Múltipla, doença autoimune que ganhou projeção nos últimos anos. A esclerose múltipla é a principal doença inflamatória do sistema nervoso. É uma doença crônica, autoimune e incurável, caracterizada por episódios de déficit neurológico secundários à lesão de uma estrutura chamada de mielina, uma espécie de “capa” que cobre os neurônios (células do sistema nervoso).

 Segundo dados da ABEM (Associação Brasileira de Esclerose Múltipla), a doença é mais comum em jovens, sobretudo em mulheres entre 20 e 40 anos. São cerca de 40 mil brasileiros com a doença.

Para proporcionar mais qualidade de vida ao paciente diagnosticado com Esclerose Múltipla e desacelerar a progressão da doença, é preciso ficar atento aos sintomas e começar o tratamento rapidamente. O médico neurologista e docente do IDOMED, Rodrigo Frezatti, pontua que os sintomas são diversos e muito diferentes.

“O principal ponto de atenção é o caráter recorrente da doença. A pessoa pode apresentar, de maneira súbita, dificuldade para andar, formigamentos, dificuldade de enxergar e em seguida se recuperar. Logo após, o ciclo se repete e os sintomas retornam. Esses episódios, transitórios e variados, são chamados de surtos”, explica o especialista.

Os principais sintomas são:

 • Fadiga;
• Distúrbios visuais;
• Rigidez;
• Fraqueza muscular;
• Desequilíbrio;
• Espasmo muscular;
• Alterações sensoriais;
• Dor;
• Disfunção da bexiga ou intestino;
• Disfunção sexual;
• Dificuldade para falar;
• Dificuldade para engolir;
• Dificuldade de visão;
•  Alterações emocionais;
•   Alterações cognitivas.

“Reconhecer os sintomas, permitindo o diagnóstico precoce, pode ser decisivo para a manutenção de uma boa qualidade de vida ao portador da doença”, reforça Dr. Rodrigo. 

Após o diagnóstico, médico e paciente definem o melhor tratamento, de acordo com cada caso. Os medicamentos têm o objetivo de reduzir as inflamações e a ocorrência dos surtos, preservando a função neurológica e independência do paciente. Além de medicação, a rotina do paciente também deve ser ajustada, sendo a atividade física e as sessões de fisioterapia importantes aliados.

Sobre o IDOMED – O IDOMED é um grupo que reúne 14 escolas médicas e consolida a tradição de mais de 20 anos de experiência nesse segmento acadêmico. Estamos presentes em todas as regiões do país, com mais de seis mil alunos e foco em excelência no ensino, aprendizado prático, tecnologia aplicada e conexão com a carreira médica. O grupo oferece programas de graduação, pós, especialização, residência médica e cursos de atualização. Está entre os líderes na incorporação de tecnologia educacional voltada à formação em Medicina

Comments are closed.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Privacy & Cookies Policy