Hospital Irmã Dulce terá novo equipamento de ressonância magnética

Novo aparelho de ressonância magnética proporciona resultados mais rápidos e precisos, dando celeridade nos diagnósticos com maiores chances de cura

[Salvador] – As Obras Sociais Irmã Dulce terá mais um equipamento de ressonância magnática, ampliando o acesso a exames de imagens realizados pela unidade em Salvador (BA). Ao todo, serão investidos R$ 3,8 milhões para a compra do equipamento, que dará mais celeridade ao diagnóstico, beneficiando 1.300 pacientes que estão em tratamento. O exame consegue diagnosticar doenças neurológicas, fraturas, infecções e cânceres.

O hospital Irmã Dulce é referência em oncologia para todo estado da Bahia. A unidade realiza cerca de 4,5 milhões de atendimentos ambulatoriais por ano. O grupo conta com serviços distribuídos em 21 núcleos que prestam assistência à população de baixa renda nas áreas de Saúde, Assistência Social, Educação, entre outros. Em 2017, o hospital recebeu do Ministério da Saúde R$ 97,1 milhões para custear a realização de exames, consultas, cirurgias e internações. Este ano, já foram repassados R$ 50,8 milhões também com a mesma finalidade.

Para o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, garantir a oferta do atendimento é fundamental para esses pacientes que lutam contra o câncer. “Estamos atentos às necessidades da população de uma maneira geral, nosso objetivo é lavar assistência ára todos. O estado da Bahia tem sido contemplado com investimentos primordiais para manutenção dos serviços e precisamos continuar ampliando o atendimento por meio da informatização e da regionalização da saúde, para que cada cidadão possa ter acesso mais acessos aos serviços disponíveis”, destacou o ministro.

Durante agenda, o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, visitou o hospital Santo Antônio, que pertence às obras sociais Irmã Dulce. O complexo Irmã Dulce possui 944 leitos SUS e responde por 12% das cirurgias oncológicas (1.654) do município, 15% (67.782) das sessões de radioterapia e 13% (13.792) dos procedimentos de quimioterapia.  A unidade possui ainda um acelerador linear para atendimento em radioterapia adquirido por meio de convênio com o Ministério da Saúde. Durante agenda, o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, visita o Hospital Santo Antônio, que pertence ao complexo.

HOSPITAL ARISTIDES MALTEZ

O ministro Gilberto Occhi também visitou o Hospital Aristides Maltez, que também é referência no tratamento oncológico no município de Salvador. Gerido pela Liga Bahiana contra o Câncer a unidade realizou, em 2017, 1,1 milhão de atendimentos ambulatoriais e 13.209 internações. Em relação ao atendimento oncológico, o serviço responde por 62% das cirurgias do município, 55% das sessões de quimioterapia e 59% dos procedimentos de radioterapia. Para atender melhor o paciente com câncer, o hospital possui quatro aceleradores lineares, equipamentos usados nas sessões de radioterapia, dos quais três foram adquiridos com financiamento do Ministério da Saúde.

Em 2017, o Hospital Aristidez Maltez recebeu R$ 120,8 milhões do Ministério da Saúde relacionados ao custeio de atendimentos ambulatoriais e internações, garantindo o atendimento à população.

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

Ainda durante visita a Salvador, o ministro conheceu o Campus Integrado de Manufatura e Tecnologia (CIMATEC) do SENAI. A unidade é referência no estado em pesquisas tecnológicas e projetos de inovação. Atualmente, a instituição atua em 33 áreas incluindo saúde, robótica, gestão, automação e desenvolvimento de estudos em software. Na ocasião, os membros diretores da instituição irão apresentar o projeto de construção do laboratório de Biologia Molecular instituição. O laboratório deve atuar em pesquisas de produtos farmacêuticos de base química e biotecnológica.

“O Cimatec é um espaço que interessa muito a saúde e ao ministério como um todo. Podemos conquistar condições melhores para a produção de pesquisas tecnológicas relacionadas a medicamentos e novos produtos para a indústria farmacêutica brasileira. Aqui as pessoas se dedicam para que o Brasil possa ter um crescimento na tecnologia, na ciência e no desenvolvimento de ações que possam ajudar o país e a área da saúde”, afirmou o ministro Gilberto Occhi.

Por Carolina Valadares, da Agência Saúde

Responda

Your email address will not be published.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More

Privacy & Cookies Policy